A OVELHA PERDIDA (Lc 15,1-7)

 

  • INTRODUÇÃO E AQUECIMENTO

Acolhida dos participantes e apresentações 
–     Acolhida
–     Apresentação pessoal e da Semente Viva
–     Apresentação do  tema: “Sermos misericordiosos como o nosso Pai” (a partir do trecho de Lc 6,36 “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”).
–     Método e regras di participação
–     Relação com o Espirito Santo / Glória



  Criar relações no grupo
–     Caminhada (percepção do corpo, respiro, ambiente…) e expressão de uma emoção  (47-Relax 02) 
–     Encontrar o irmão com um sorriso, um gesto: expressão de uma emoção…
–     Parar a caminhada Sem música 

Apresentação criativa do tema através de uma esquematização simbólica   “Tentamos ver o que nos diz esta frase do evangelho, que é o nosso tema.  
–     “Antes de tudo, uma verdade que simbolizamos com um pano azul: há um PAI, um pai no céu”. 
 –     “Mas se há um Pai, há também filhos” (colocar 3 ou 4 panos de várias cores) 
 –     “O que une este Pai a estes filhos? O amor (colocar o pano vermelho entre eles) que é um amor de misericórdia, pois o coração do Deus onipotente cuida dos miseráveis,ou seja daqueles que nada merecem por si mesmos. Misericórdia significa coração juntos com os miseráveis. O amor de Deus para conosco não pode ser que um amor de misericórdia, um amor que nos alcança de modo gratúito”.  

Simbolo Vivenciado: o pano da Misericórdia
 –          “Cada um agora recebe um pano, símbolo da misericórdia. Receba esta misericórdia e se senta envolvido nela… caminhe livre sentindo este amor de Deus que alcança você… como se sente envolvido pela misericórdia de Deus?” (…)    (62 -Romantica serena)
 –     “Agora pegue este pano na mão e olhe para ele: este é o amor que você recebeu. Que nome dá a este amor de Deus para com você? Expresse em voz alta” (…) 
–     “Esta misericórdia agora está nas suas mãos…Peço para você doar este amor para o outro que encontra. ‘Dai e vos será dado’. Doe e receba este amor, e enquanto doa, fale aquela palavra com a qual você definiu o amor de Deus. Sempre a mesma palavra…
Como se sente doando esta misericórdia? E recebendo esta misericórdia?” (…)
 –     “Agora podem parar e olhar para esta misericórdia que você tem na mão: há uma cor diferente daquela que você recebeu por primeiro. Quantas cores passaram na suas mãos? Quantos irmãos foram instrumentos para você receber esta misericórdia de Deus?” (…)  

Expressão do desejo        (56 – Relax onda) 
–     “Feche os olhos e olhe no seu coração. Do que precisa para doar esta misericórdia para os outros? Do que precisa para receber esta misericórdia? Expresse em voz alta com uma palavra ou uma breve frase”
 –     Cada um se despede do símbolo da misericórdia.  

  • ENCONTRO COM A PALAVRA

IntroduçãoTirar música
 –     “Temos um pai misericórdioso, que nos envolveu com seu amor, mas Jesus nos dá um comando bem claro: SEDE TAMBEM VOCES MISERICORDIOSOS COMO O PAI. E como é misericordioso o Pai? O Evangelho nos fala disso”

  Leitura do Evangelho de Lc 15,1-7 
Quem de vós que tem cem ovelhas e perde uma, não deixa as noventa e nove no deserto e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la?
E quando a encontra, alegre a põe nos ombros
e, chegando em casa, reúne os amigos e vizinhos, e diz: ‘Alegrai-vos comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida!’
Eu vos digo: assim haverá no céu alegria por um só pecador que se converte, mais do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão.

 Breve comentário retomando o texto 
 –     “Jesus mostra esta misericórdia do Pai como a experiência de um pastor… então sermos misericordiosos como o Pai significa tornarmos também nós pastores…” 

 Todos imaginam de serem o Pastor com a imaginação  
–     “Feche os olhos e aos três será o Pastor… 1,2,3, continuando de olho fechado…”
–     “Você está num campo com muita grama, está parado olhando suas ovelhas que comem a erva, que passeiam felizes neste campo ao qual você levou elas… Tem ovelhas adultas  mas também pequenos cordeirinhos que pulam com alegria de um lugar para outro…”
–          “Agora olhe para o seu cajado, que tem na mão; seu cajado fiél que o sustentou nas longas caminhadas para levar as ovelhas ao prados verdes… seu cajado que ajudou você a conduzir as ovelhas no caminho certo… e no seu coração agradece por ele…”
(54- Relax água serena) 
–     “Mas chegou o tempo para finalmente voltar para casa… e começa a caminhar com toda as ovelhas ao redor… Não vé a hora de rever sua esposa, que deixou em casa há muito dias… Rever seus filhos… Agora finalmente enxerga lá bem no fundo sua casa, e o redil lá fora…”
–     “Agora chegou… abre o cancelo, e faz entrar todas as suas ovelhas, olhando para ela, uma por uma… 10,11,12…15,16…30,31….55,56…84,85…97,98,99…”
(65 – Serena alegria 01)
Parar música
 –     “e…oh não! Falta uma! Falta a Branquinha, aquela ovelha que sempre quer seguir os seus caminhos e que muitas vezes arriscou de se perder…
–     Não se pode esperar um minuto, pois ela pode estar em perigo… e logo volta de novo nos campos…”      (86 – Triste 03)

 Todos se tornam com o corpo o Pastor que vai procurando a ovelha
–     “Aos três você se levantará da cadeira e irá procurar a ovelha perdida também com o seu corpo, de pressa, perguntando pra todos, olhando para cada angulo deste grande espaço onde você está. 1,2,3…”
–     “Você corre depressa, não tem tempo pra perder. Corre na trilha umedecida, mas escorrega e cai… se levanta logo porque tem só uma preocupação, um objetivo: encontrar sua ovelha. E não repara que caindo se machucou, e não repara os espinhos que o estão ferindo… Como se sente nesta busca? Expresse em voz alta.
(02 – adventurosa energia 02)

 Visualizar com a imaginação o avistamento da ovelha perdida  
–     “Agora podem parar e fechas os olhos”.
–     “Agora você enxerga, atras de uma rocha, algo que se movimenta… nasce uma esperança em você… se aproxima, devagar, e sempre mais tem esta certeza: sim, é ela… É ELA!!!! Você a vê claramente lá, ferida, machucada… e do seu coração sai uma grande emoção…”
Parar
(79 – ternura amor 02)

Estatua corporea para partilhar a emoção  
–     “Agora ao três, com o seu corpo também, como fazendo uma estátua, expresserá esta emoção que está experimentando agora, vendo sua ovelha lá, ferida, machudada… 1,2,3…”
–     “Expresse livremente em voz alta a emoção que está experimentando agora…”
–     “Feche os olhos.. Ao três você não será mais o pastor mas você mesmo”
Todo mundo volta a ser se mesmo
Parar a música



 Esquematização da cena do encontro con a ovelha  
“Mas vamos aprofundar este momento tão emocionante, tão importante nessa nossa história” (colocar os panos, em relação sociométrica entre eles)
–     pastor
–     ovelha
–     cajado do pastor
–     a rocha onde a ovelha caiu e se feriu
–     os espino que feriram o pastor durante a sua busca
–     uma ovelha que nunca pensou sair do redil e julga a ovelha
–     a ovelha amiga da ovelha que se perdeu
–     um amigo do pastor

  Escolha da personagem  
–     “Caminhem ao redor, olhando para cada personagem, escutando o que está falando agora, nesse momento em que o pastor encontra sua ovelha…”
–     “Se deixe escolher por uma destas personagens que está lhe dizendo algo agora, que o está incuriosindo… Se aproxime do pano dela…”
Inversão de papel com a personagem escolhida:
–     “agora feche os olhos… e aos três será esta personagem… 1,2,3.”
–     “Ao toque do ombro cada um dirá quem é e como se sente neste mmento da cena, com uma palavra ou uma pequena frase”.
–     No final todos saem do papel, voltando a ser si mesmo

  Símbolo vivenciado: a ovelha no ombro  
Colocar todos os panos perto da ovelha perdida
–     “Agora esta representa a ovelha que cada um perdeu. Qual é o nome da sua ovelha? Convido cada um a dar um nome, no seu coração, e quando identifica quem é sua ovelha, pega ela e a carregue nos seus ombros… diz uma palavra para ela…” (Todos pegam um pano que simboliza a ovelha e a colocam nos ombros).   (82 – Ternura Serena 01)
–     “Agora voltamos para casa (todos caminham): o que sente neste retorno?”
–     Despedir-se do símbolo     (64 – Serena alegra)   
Parar música

 Visualização guidada da cena da festa  
–     “Escolhe um lugar confortável, sentado na cadeira ou no tapete ou mesmo deitado no tapede…
–     Agora imagine ainda uma vez esta casa, que você vê de longe, onde estão todas as suas outras ovelhas… sua familia… tem muitas casas ao redor, dos seus amigos…
–     Não volta para casa mas vai logo neles, mostrando sua ovelha, e chama para vir na sua casa, para fazer festa por ter reencontrado sua ovelha…
–     E prepara um grande banquete lá, na sua casa…”   (54 – Relax agua serena) 

 Imaginação facilitada       (46 – Relax 01)
–     “Agora sai com sua imaginação deste lugar de festa, desta mutidão, e volte a ser você mesmo…
–     Perceba o ar que entra e sai da sua boca, dos pulmões… deixe entrar o ar bom da acolhida, do amor, do Espírito… Deixe sair todo sentimento negativo, de ciume, juízo, fofoca, crítica…
–     Desça sempre mais dentro você, lá bem no fundo, onde você é verdadeiro… onde você se deixa encontrar e abraçar pelo Espírito…
–     E deste lugar interior, o centro, repense á sua necessidade inicial para com a misericórdia, do percorso feito, e deixa surgir uma imagem que fale desta festa de você reconciliado com seus irmãos… pode ser imagem simbólica, da natureza ou um fato que vivenciou… “

Partilha Tirar música 
–     Partilha da imagem em grupos de 5
–     Emergente grupal e partilha no grupo grande.

ORAÇÃO CONCLUSIVA

     Pano vermelho e vela  
–     “Colocamos no centro este amor misericordioso do Pai… com esta vela.
Quem quiser pode expressar com uma palavra ou uma breve oração quanto vivenciou e quer oferecer ao Pai”.

 Pai nosso conclusivo. 




Esta entrada foi publicada em Roteiros Lucas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *