O BOM SAMARITANO (Lc 10,29-37)

 

  • INTRODUÇÃO E AQUECIMENTO

  Acolhida dos participantes e apresentações
–     Do formador, do método, das regras (cf. p.)…
–     Do tema: amar aos outros de forma concreta

Relação com o Espirito Santo
Momento simples de relação
–     Colocando uma vela acesa no centro. Convidar a colocar uma mão no coração para perceber o Espírito Santo que está já em nós pelo dom do batismo… que nos guia, que nos ajuda a amar quando nossa humanidade nos impulsaria a odiar, a procurar vingança… Este Espírito está em nós e quer ainda mais nos guiar pelas estradas da vida… Entre em contato com este Espírito que abraça sua alma… (Se quiser, depois de alguns segundos de silêncio fazer um canto ao Espírito bem conhecido pelos participantes). 


Foto-linguagem (cf. p. )
–     Se colocam no centro imagens diferentes. Os participantes são convidados a caminhar ao redor delas e escolher a imagem que mais o representa neste momento. Sublinhar que não é para escolher a foto da qual gosto mais mas aquela que diz algo sobre mim.              (65 – Serena alegra 01)

Partilha do nome e da foto:
 (Por convite: cada um se apresenta a outro do grupo o qual depois irá se apresentar a outro)

Caminhada com jogos de papéis
–     Pedimos aos participantes para caminharem sozinhos…   (50 – Relax 05)
de caminhar como robôs; olhando só para a frente de nós     (02-Adventurosa energia 02)
–     Em seguida, andar lento…                                                       (51 – Relax agua 01)
–     Rápido….                                                                                    (45 – Raiva agressividade)
–     Depois ainda lento…                                                                  (51 – Relax agua 01)
–    Pulando…                                                                                    (01 – Adventurosa energia 01)
–     Em seguida, pedir para caminhar e começar a encontrar o olhar do outro, viver o encontro, para perceber que não estamos sozinhos, mas alguém caminha ao nosso lado…     (66-Serena Alegra 02)
–     Então pedir para se juntar com um parceiro, juntando as mãos ou simplesmente caminhando próximo dele… Pedir para andar juntos como robôs, lento, rápido…
–     Depois pedir para se juntar com outra dupla… e repetir as caminhadas…
Depois unindo-se com outros 4… e assim por diante, até que todo grupo está unido (se der…)
–     Desde quando se caminha em dupla, enquanto caminham normal, rápido, lento, etc., perguntar: “Como eu me sinto? Como eu estou andando com meu parceiro? e caminhar com mais companheiros? Que diferenças você percebe? Pode expressar em voz alta…”

Associação ao tema
–     Depois desta pequena experiência, pedir para partilhar (brevemente, com uma palavra ou uma pequena frase): O que acham que Jesus pede para amar os outros? O quê ele pede para caminhar com os outros, para amar concretamente os outros no caminho da vida?...

No final, expressão dos desejos
–     E a partir daí… (pedir um momento de introspecção…) “Do que preciso para amar como ele quer, neste momento da minha vida?” (podem dizer em voz alta ou, melhor, pedir para cada um de escrever numa folhinha…)              (37 – Medo)

  • ENCONTRO COM A PALAVRA

Leitura do trecho de Lc 10,25-37
Hoje Jesus através deste trecho bíblico quer nos dizer como poder amar aos outros ao longo do caminho da vida… vamos escutar um trecho em que ele nos fala disso.
25Um doutor da Lei se levantou e, querendo experimentar Jesus, perguntou: “Mestre, que devo fazer para herdar a vida eterna?”26Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?”27Ele respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com todo o teu entendimento; e teu próximo como a ti mesmo!”28Jesus lhe disse: “Respondeste corretamente. Faze isso e viverás”.29Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Jesus retomou:
30“Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Estes arrancaram-lhe tudo, espancaram-no e foram-se embora, deixando-o quase morto.31Por acaso, um sacerdote estava passando por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado.32O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado.33Mas um samaritano, que estava viajando, chegou perto dele, viu, e moveu-se de compaixão.34Aproximou-se dele e tratou-lhe as feridas, derramando nelas óleo e vinho. Depois colocou-o em seu próprio animal e o levou a uma pensão, onde cuidou dele.35No dia seguinte, pegou dois denários e entregou-os ao dono da pensão, recomendando: ‘Toma conta dele! Quando eu voltar, pagarei o que tiveres gasto a mais’.36Na tua opinião – perguntou Jesus –, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?”37Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze tu a mesma coisa”.



Esquematização da cena com panos coloridos
Retomar o trecho e, enquanto isso, colocar no chão os panos coloridos para esquematizar a cena.
–     Aqui há uma estrada (pano cinza), que une duas cidades bem importantes. Jerusalém, a cidade do templo, a cidade onde se encontram as pedras com os dez mandamentos, a arca da aliança… e Jericó, a cidade do comércio, dos negócios, de muitos povos diferentes…
–     Um homem, caminhando para Jericó, presumivelmente um judeu, durante a caminhada em seu caminho encontra ladrões que lhe batem e o deixam meio morto… (pano marrom – cor da terra, da fraqueza do homem)
–     Colocamos, aqui no lado, os ladrões que bateram no pobre homem. Não sabemos quais foram os motivos pelos quais fizeram isso (2 panos roxos, diferentes)
–     Por essa estrada, passa um Sacerdote, um homem de Deus, imaginamos como um dos nossos sacerdotes… Ele vê mas não para, continua em seu caminho (pano azul –  aquilo que parece estar mais perto de Deus).
–     Da mesmo forma passa por lá um Levita, um servo do templo, um estudioso da lei, mas passa por cima dele e o deixa no chão (pano amarelo – cor da luz que qualquer pessoa que estuda deveria ter…)
–     Por último passa um samaritano, que é um estrangeiro, diferente, o que os judeus odeiam; ele o vê, ele tem compaixão dele, decide cuidar dele. Cura suas feridas, o carrega em seu burro e o leva para uma estalagem, cuidando dele. (pano vermelho escuro – cor do amor…)
–     Aqui, perto da estrada, colocamos uma árvore, uma árvore milenária que viu muita cena acontecer nesta estrada…
–     No dia seguinte, antes de partir o samaritano deixa o  dinheiro para o hoteleiro, pedindo-lhe para cuidar do homem, e que, se o dinheiro não fosse o suficiente, daria outro em seu retorno. Vamos colocar também este homem que foi de ajuda para o samaritano cuidar do homem ferido (pano cinza).

Escolha da personagem que atrai mais
–     O que diz a minha vida
–     Cada um escolhe uma personagem da cena, aquela que mais está me falando neste momento, aproximando-se do pano dele..

Inversão de papéis com as personagens
–     Ao falar três, todo mundo se torna a personagem escolhida.
–     Permanecendo todos de olho fechado, o facilitador toca no ombro de cada um que expressa quem é e o que sente neste momento da cena.
–     Depois todo mundo torna a ser se mesmo.
–     Um por personagem fica pela dramatização.

Dramatização
–     O facilitador facilita o fluir da cena

Imaginação facilitada
–     Ajudar a fazer emergir uma imagem que fala sobre como Deus me convida a amar mais.             (46 – Relax 01)

  • ORAÇÃO CONCLUSIVA

Ambiente:
–     Colocamos o pano vermelho que representa o Bom samaritano que é Jesus, que cuida de todos nós.
Orações espontâneas
–     Cada um é convidado a expressar uma oração espontânea sobre quanto vivido
Concluir com o Pai nosso




 

 

Esta entrada foi publicada em Roteiros Lucas. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *