“O agir inspirado pelo amor” (Lc 6,39-45) (VIII Domingo do Tempo Comum – Ano C –Participante)

Leitura do evangelho (Lc 6,39-45)

Naquele tempo: Jesus contou uma parábola aos discípulos: ‘Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco? Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre. Por que vês tu o cisco no olho do teu irmão, e não percebes a trave que há no teu próprio olho? Como podes dizer a teu irmão: irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho, quando tu não vês a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão. Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons. Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas. O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio.



Para a meditação pessoal

  1. Admiração: a Palavra de Jesus nos deixa admirados? Nos leva a dar testemunho dEle?
  2. Provocação: Deus se mostra diferente daquilo que pensamos. Como acolhemos sua novidade inesperada?
  3. Dois provérbios: alusão à cruz: Quanto sou capaz de aceitar o desafio na minha vida, de acolher a cruz?
  4. Escolha dos pagãos: Quanto, na minha vida, consigo ir além, para encontrar os pagãos de hoje?
  5. Tentativa de matar Jesus: O que representa aquele pano escuro para você? E isso o bloqueou ou lhe fez começar um novo caminho?
  6. Caminho: Repensando na escultura proposta no final, onde se encontra hoje?
Esta entrada foi publicada em Folhetos para os Partecipantes. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *