História

O Bibliodrama Pastoral é um método para responsáveis de grupos que desejarem renovar sua pastoral, buscando formas mais envolventes para comunicar a Palavra. Trata-se de um método que se pode aplicar em vários  contextos, uma nova forma para transmitir, de um jeito mais experiencial, a história bíblica.

O Bibliodrama foi originalmente proposto por Jacob Levi Moreno, criador do Psicodrama. Esta técnica não foi, porém, aprofundada dentro do Psicodrama, mas atraiu a atenção dos biblistas e teólogos, pois apresentava um modo novo de interpretar os textos sagrados. Desenvolveu-se, então, como método específico nos círculos eclesiásticos, nos E.U.A e na Europa (especialmente na Alemanha), afastando-se do Psicodrama, mesmo tendo nele suas raízes. Isso chegou no Brasil nos anos ’70[1].



Na Itália o Bibliodrama desenvolveu-se de forma diferente: o psicodramatista formador Giovanni Brichetti aplicou diretamente o Psicodrama aos textos sagrados, sublinhando a interrelação no grupo. Objetivo dele não era interpretar o texto mas ajudar cada um a reconhecer nele algo de si, espelhando-se nas personagens, recebendo luz para a vida. O Bibliodrama proposto pela Associação Italiana Bibliodrama (A.I.B.), então, é bem enraizado no Psicodrama e poe no centro a pessoa e sua vida.



É esta modalidade específica, que chamamos de “Bibliodrama Pastoral”, que Loredana Vigini, formadora reconhecida pela A.I.B., está apresentando no Brasil desde 2015, proporcionando cursos de formação ao método. Em quatro meses foram realizados cursos nas dioceses de São Paulo, Campo Limpo, Piracicaba, Ourinhos (SP); Belo Horizonte, Sete 1Lagoas (MG); Rio de Janeiro (RJ) e Uruaçu (GO).

[1] Cf. A. Roese, Bibliodrama. A arte de interpretar textos sagrados