FASE 1: INTRODUÇÃO E AQUECIMENTO

A fase de introdução e aquecimento, chamada, também, fase de sensibilização, visa preparar o indivíduo e o grupo a uma atitude de abertura e acolhida da Palavra, e inclui as apresentações, o encontro autêntico entre os participantes, o aquecimento psico-motor e a evocação dos desejos e das necessidades em relação ao tema proposto pela Palavra. Nesta primeira parte é importante viver também um simples momento de oração, invocando o Espírito Santo.

Em seguida detalharemos as ferramentas que facilitam essa fase introdutória, em suas várias etapas que sinteticamente apresentamos:

–     A apresentação dos facilitadores e da experiência, com a introdução ao método (incluindo as regras da participação), é vivida na simplicidade, sem dinâmicas especiais. Ressaltamos, no entanto, que é uma parte importante, pois permite a criação de uma relação de confiança entre o facilitador e o grupo e ajuda os participantes a entender o contexto e, por conseguinte, a reduzir a ansiedade diante da situação nova que irão enfrentar. Tudo isso ajuda a se preparar ao encontro com maior consciência e disponibilidade.

–     Após esse momento inicial, antes de chegar ao coração da experiência, geralmente é proposta uma breve invocação do Espírito Santo, que ajuda os participantes a se preparar para viver a experiência numa dimensão espiritual (seção 1).

–     Em seguida, graças a algumas dinâmicas que favorecem o encontro autêntico entre os participantes, cria-se um clima de aceitação mútua  (seção 2).

–     Depois disso, o tema, já mencionado na introdução, pode-se apresentá-lo de forma criativa (seção 3).

–     É desejável que à comunicação criativa do tema siga um momento que ajude a conscientizar cada participante sobre seus desejos e necessidades em relação ao mesmo. Isso também pode ser facilitado de várias maneiras (seção 4). Uma passagem bíblica é na verdade para todos interessante e cativante na medida em que responde às necessidades profundas e aos desejos pessoais. Por conseguinte, é importante que estes surjam e sejam explicitados, atingindo o nível de consciência em cada membro do grupo antes de iniciar a leitura do trecho.

–     É útil também identificar alguns estímulos que ofereçam a oportunidade não só para transmitir conteúdos, mas também para evocar imagens pessoais (seção 5).

–     Finalmente, nesta fase, para entender a realidade do grupo, tanto na sua composição quanto à posição dos participantes a respeito do tema, podem ser usadas sociometrias de ação (seção 6).

Esta entrada foi publicada em Ferramentas para a Fase 1. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *